Obrigado! Bacanudo Ano Três

Bacanudo Ano Três

Não é mentira que no momento que escrevo isso apaguei outros tantos textos quase prontos e recomecei. Porque eu ia contar a história de como tudo começou, de como os pontos se ligaram e o porquê de estarmos aqui hoje. A verdade é que acho tudo isso uma grande besteira para esse momento, essa coisa de ficar ligando as eventuais coincidências e frutos de trabalho duro. É uma coisa pra quando estiver velho e estiver no final da minha jornada.

Então, decidi agradecer.

Em fevereiro de 2013 começamos essa jornada. Viajei por várias cidades, conheci muita gente legal, montei uma equipe bacana de gente apaixonada e que ri de qualquer coisa. Nossa audiência também é demais. Não temos haters e só alguns poucos trolls!

Temos amigos. Isso que me trouxe para o podcast e para a produção de conteúdo na internet: fazer amigos.

A gente conta nossas histórias, compartilha a vida, emite opinião sobre um monte de coisas, de coração limpo. E com sinceridade. Agora, em 2016, a gente ri e também se preocupa com o conteúdo de 2013. Como o mundo mudou! Portanto, algumas opiniões e atitudes também tiveram de evoluir. E nós amadurecemos também (ainda bem!).

E testamos muitos formatos. Muitos mesmo, sempre tentando oferecer o melhor. Algumas vezes até de forma precipitada, algumas pausas chatas, mas sempre, sempre mesmo, tentando fazer o melhor.

Também não é mentira que o Bacanudo quase acabou: a vida é implacável e força a fazer escolhas. Mas, é impossível parar quando chega um email ou até mesmo um tuite me cobrando um programa novo, alguém dizendo que riu das piadas, que fez duas maratonas de todos os nossos programas! Alguém que comprou o meu livro ou só me deu um abraço Brasil afora. Algum novo amigo que encontro, sabe?

É impossível parar porque isso aqui não é meu. Embora eu esteja escrevendo em primeira pessoa, o site não é meu, o podcast não me pertence.

É nosso. Meu, da equipe e seu. Você que nos conheceu recentemente ou que nos acompanha há três anos, que nunca nos escreveu ou que comenta em todo programa. É nosso!

A história, a maneira que os pontos se conectam, ao estilo Steve Jobs, deixemos pra outra hora. Agora é hora de dizer obrigado. E que venham mais três anos de coisas bacanas!

Compartilhe:Share on Facebook87Tweet about this on TwitterShare on Google+0
Author
Jornalista, escritor de “Tony Moon: está tudo fora de controle, cara!”. Colaborei com a Superinteressante, Vida Simples, youPIX e um monte de lugares! Fundador e Editor do Bacanudo, curioso pra caramba e um sujeito bacana!
  • Tiago Moreira

    conheci o Bacanudo num festival que trouxeram o Jurandir e PH .. Desde lá não larguei mais. Serio mesmo! Escuto muito podcast, mas um dos poucos que fico no aguardo, espero, comento, participo é o Bacanudo. Fico feliz com essa volta. Que na segunda eu vou chegar no trabalho e ouvir vocês. Eu que agradeço por esse três anos. Vocês são massa!!!! e bota essas historias num podcast .. vou ouvir mesmo 😉

  • Rodrigo Soares

    Imagino como é difícil a vida do criador de conteúdo, sempre enfrentando muitos obstáculos. Conheco o Bacanudo há mais ou menos um ano, mas é um dos cantinhos da Internet que mais gosto.
    Como leitor/ouvinte, eu que agradeço pelo Bacanudo existir!

  • Ana Carolina Lima

    Parabéns, queridos, me divirto demais com vocês! Vida longa ao Bacanudo! 😉

  • Pedro Sena

    Quase soltei fogos ao fim da leitura hehe S2

  • Claudio Gaspari

    Não sou mulher do padre.

  • Lucas Mancio

    cheguei aqui pelo clp com o sidão e nunca mais fui embora, amo esse podcast e cada um dos seus apresentadores, obrigado por fazer meus dias mais engraçados e divertidos, “o que fazemos em vida, ecoa pela eternidade”

  • Isipod

    Acho que também só nos resta agradecer. Agradecer pelo esforço e dedicação de manter o programa, já que não é nada fácil toda a parte dos bastidores (edição, conciliar horários, formar pauta, publicar). Por isso, deixo meu muito obrigado e meus votos para que vocês continuem.
    Obrigado Pedro, Isabelle, Nícolas, Ovelha!