CLP 055: Músicas Melhores Ao Vivo

No Caçadores da Lista Perdida #055Nícolas Queiros, Ovelha e Gui Maldonado indicam as músicas que possuem versão ao vivo SUPERIOR ao tradicional trabalho no estúdio!

Baixe o MP3

Caçadores da Lista Perdida #055:

Indicamos no programa:

  • Bob Marley and The Wailers
  • Foo Fighters
  • Metallica
  • Rainbow
  • Entre outras bandas sensacionais!

Feed (assine ontem!)

Facebook Bacanudo

Twitter dos Bacanudos

Vinheta Abertura

  • Texto e Edição: Nícolas Queiros
  • Dublador: Nato Vieira

Emails

  • bacanudo@bacanudo.com.br
Compartilhe:Share on Facebook50Tweet about this on TwitterShare on Google+0
Author
Bacanudo existe desde 2013 e está presente sempre que coisas bacanas acontecem! Além de tentar produzir conteúdo diferente e divertido!
  • Isipod

    O programa pra baixar música tinha o Kazaa e o LimeWire. Talvez fosse esse que o Pedro mencionou no comentário.
    A respeito do tema do programa, eu como sou “putinha” do U2, vou falar da City of Blinding ligths, que abria a tour Vertigo. Era a emoção de ver a banda entrando em palco e o público cantando junto. Fica ai o vídeo no Brasil mesmo.

  • Richelly Italo

    O cast está muito bom. Tem ótimas referências.
    Quanto ao post, vocês poderiam criar uma playlist no spotify e compartilhar. O que acham?

  • JefSilva

    Olá Bacanudos!
    Ótimo cast! Curto muito as listas do CLP 😀
    Tenho um caso parecido com do Nícolas só que com Led Zeppelin. Eu tinha no meu PC a versão ao vivo de “Stairway To Heaven”, e escutei ela por toda a adolescência nesta versão. Quando aderi ao Spotify, ouvi a versão de estúdio e ela não trás toda a emoção da versão ao vivo do álbum “The Song Remains the Same”.

  • Márcio José Pedroso Dias

    Olá, Bacanudos.
    Maravilha de tema. Ótimo programa.

    Uma dúvida, não sei se adequava a pauta do programa ou foi por escolha dos bacanudos, mas reparei que não foi citado nenhuma musica gravada no estilo “MTV Unplugged”. Prefiro esse estilo ao invés de gravações de shows ao vivo. Tem um acabamento em captação muito melhor, tem a presença de publico que mantem o clima de apresentação ao vivo, sem a presença de gritos histéricos de fãs femininas tão comuns nas apresentações ao vivo. O único lado ruim do modelo “Unplugged” é a falta do publico poder cantar em coro junto o artista.
    Como exemplo: “Alanis Morrissete – Unplugged” de 1999, “Nirvana – MTV Unplugged in New York” de 1994 e “Titãs Acustivo MTV” de 1997
    No de Alanis Morrissete tem duas musicas considero melhores que as originas: “That I Would Be Good” e “King of Pain”, essa ultima cover do “The Police”

  • Vocês mandaram muito bem na lista, gosto muito quando vocês falam de música!

    A parte do orgasmo de pele é totalmente verdadeira, tem músicas que tem aquele trecho que é marcante, é uma sensação ótima quando ouço esse trecho.

    Lembrei da adolescência na parte sobre Linkin Park, ao contrário do Nícolas eu gostava muito do Meteora (foi o primeiro CD de rock que tive), nunca fui muito de álbuns ao vivo, normalmente eu dava atenção apenas para os acústicos MTV, o do Charlie Brown Jr foi trilha sonora de boa parte dessa época da minha vida.

    Até hoje não sou muito de ouvir versões de músicas ao vivo, dou muita atenção ao formato álbum, quando alguém me fala sobre uma banda que não conheço eu respondo: “me indica um CD”, ao invés de pedir por uma lista de músicas. Acho que essa minha predileção ao álbum me limita em ir atrás de versões ao vivo.

    Mesmo assim, tem algumas coisas que gosto de ouvir, bandas de metal sinfônico adoram fazer shows ao vivo com orquestra e tal, as versões gravadas nesses shows normalmente ficam muito legais, de cabeça lembro do Within Temptation e do Epica.

    Gosto de ouvir as versões ao vivo quando tem mudanças em relação ao som do estúdio, seja por mudar o ritmo ou os arranjos, ou ter uma participação marcante da plateia, em compensação, quando estou lá no show prefiro que a banda toque da maneira mais fiel possível à versão de estúdio, curto mais o show dessa forma. Vai entender rsrs.

    Rainbow!! Espetacular!! Eu adoro ambas as versões de Man On The Silver Mountain.

  • Morbeck

    Olá bacanudos, agradeço por terem lido meu email ;). O app que o Nicolas indicou e eu não encontrei na loja do Windows Phone foi o Pushbullet, eu fui olhar no site deles, ele está disponível para Windows, mas não cita o windows phone =/. Sobre o aplicativo que eu queria uma dica, eu uso o OneDrive, o problema é que geralmente não tenho crédito no celular e não posso contar sempre com o Wi Fi da faculdade, por isso, tenho que jogar no OneDrive e baixar pro celular caso queira ter acesso offline. De qualquer forma, muito obrigado pela ajuda 😉

  • Morbeck

    Agora sim vou comentar sobre esse episódio. Achei bem bacana e apesar de não ser muito fã de ir em shows, já me diverti muito em alguns e sei como é legal toda aquela energia do momento. Sou de Salvador e aqui temos alguns shows enormes, como o famoso festival de verão e alguns que acontecem no mesmo lugar, ai acaba sendo aquela coisa de massa, enche e não é muito confortável. Temos também uma concha acústica que é bem legal, você fica mais próximo da banda ou do(a) cantor(a) e acho que cria uma experiência única, é algo mais aconchegante de forma geral. Não que eu não esteja fugindo do propósito geral do cast, mas agora foi fugir um pouco mais, um dos Orgamos de Pele mais fodas que já tive foi na cena do filme Forest Gump quando começa a tocar Fortunate Son do CCR. O som do helicóptero com a música gerou uma giovanna antonelli, digo, um encaixe perfeito.

  • Coxinha de mortadela O isentão

    … E todas do AC/DC …

  • Rafael

    acabou de novo.

  • Matheus Rafael

    mandei uma foto do bacanudo pro papainoel, vou me comportar esse ano.