Bacanudo 034: Meu Primeiro Emprego!

 
No Bacanudo #034: Pedro Duarte, Ovelha, Nícolas Queiros e Belle Felix falaram sobre suas primeiras experiências profissionais, o dia em que explodiram as coisas, foram explorados pelos chefes e coisas de sempre!

Livro do Pedro Duarte:

output_O556HA

Rolou no Bacanudo #034

  • O que conta como primeiro emprego?
  • Nícolas tem 100 anos mas não conta pra ninguém!
  • Concurso público VS “fazer o que gosta”
  • Leitura de emails/recados (a estreia!)

Feed (assine ontem!)

iTunes (SIM!)

Facebook Bacanudo

Twitter dos Bacanudos

Emails

  • bacanudo@bacanudo.com.br

 

Compartilhe:Share on Facebook4Tweet about this on TwitterShare on Google+0
Author
Bacanudo existe desde 2013 e está presente sempre que coisas bacanas acontecem! Além de tentar produzir conteúdo diferente e divertido!
  • Parabéns pelo episódio!

    É a primeira vez que comento mas gostaria de dizer que achei a discussão muito bem conduzida.

    Penso que é importante procurarmos o que gostamos de fazer realmente, mas para isso é importante jogar-se um pouco na vida tentando fazer isso. Eu fiz um caminho meio torto até chegar aonde queria para trabalhar com o que gosto. Saí da área de informática para virar músico e filósofo.

    Conheço um amigo, por exemplo, que estudou análise de sistemas mas sempre teve um sonho de trabalhar com empreendedorismo. Largou o trabalho em um bom cargo na área dentro de um banco, onde chegou a cuidar de contas da Globo, para trabalhar num posto. Frustrou-se um pouco com assaltos e corrupção fiscal, saindo e abrindo uma loja de bolos. Além de estar feliz, em um ano pagou o investimento e abriu uma segunda loja. Ele acabou realizando o sonho de empreender mercados diferentes ao arriscar-se sair de um emprego em que ganhava bem e tinha futuro para se arriscar. Analisou tudo para tomar a melhor decisão, mas se não tivesse coragem, iria estar estressado e infeliz sonhando com o momento de realizar seus sonhos.

    Precisamos buscar o que nos dê prazer na vida, mas só jogando-se mesmo para saber.

    Tudo de bom a todos e parabéns pelo podcast!

    Tiago de Lima Castro

    • Pedro Duarte

      É isso! Pra escolher ou criar tem que ter referência, se jogar mesmo. Tem uma fase da vida que qualquer coisa é útil! E é só aproveitar e aprender o máximo possível!

  • O meu primeiro emprego foi Mc Escravo! 1 real por hora, passa por todos os setores da “lanchonete”, e tem que atender todos os clientes com um sorriso no rosto! E esse carma durou um ano e meio. Durma-se com um barulho destes.

    • Pedro Duarte

      Zorra! Espartaaaaa!

  • Muito bom o episódio! Me fez lembrar as roubadas que me meti no início da carreira.

    Tenho 37 anos, moro em Los Angeles e hoje posso dizer que estou muito bem profissionalmente, mas para que isso acontecesse, precisei ralar bastante.

    Meu primeiro emprego de verdade foi como vendedor de curso de inglês picareta de porta em porta. Era horrível, pois o salário era o mais baixo que a lei permitia e não tinha nenhum benefício. Eu ficava o dia todo andando, abordando as pessoas para tentar vender o tal curso.

    O pior que eu não conseguia enganar as pessoas. Quando me perguntavam: “esse curso é bom mesmo?”, eu respondia: “é mais ou menos”. Não vendi quase nada e só fiquei um mês na empresa.

    Depois desse, como na época estudava medicina, fui estagiar no IML ajudando em autópsias. Era bem tranquilo, até hoje meu melhor emprego. Ainda passei por jornadas de 80 horas semanais para ganhar R$ 800 por mês e outras roubadas até começar a trilhar o caminho certo. No entanto, tudo isso foi importante para me moldar como profissional.

  • Olá queridos, tudo bom?
    Primeiro emprego é sempre um desafio e grande aprendizado, independente do que se faça. É a partir da primeira responsabilidade que aprendemos a dar valor ao suado dinheiro e começamos a ter uma visão sobre o custo de vida e espera-se que daí, possa haver um planejamento para o futuro (ahhh, mas na teoria é uma beleza né?).
    O meu primeiro emprego foi de auxiliar administrativo em uma indústria de produtos químicos. Era um bombril, 1001 utilidades, mas posso afirmar que fazer de tudo um pouco me deu base para as oportunidades que surgiram depois. Trabalhei 8 anos em uma concessionária de veículos, chegando a cargo gerencial, mas com a crise que se instalou no país a empresa fechou as portas e eu fiquei a ver navios. 1 mês depois consegui uma vaga como analista de crédito e risco e é meu emprego atualmente.
    Penso em empreender em algo próprio, mas estou pesquisando o mercado e juntando grana, pois não dá pra dispôr de algo que não tenho, contando com a sorte.

    Gostei muito do programa, eu os ouço há bastante tempo mas creio ser este o meu primeiro contato, então fica aqui o meu abraço e desejo de sucesso a todos.

    Beijos,
    Carla Mariano
    Instagram: @maoslindas
    Twitter: @maoslindas